Um olhar um sentimento

Olá queridos!

Pedi a amigos que escrevessem sobre como se sentiram e o que vinha na mente quando leram a frase que permeia o caminho da Confraria dos Viajantes: “Basta um encontro e uma delicada engrenagem se movimenta”.
Aí está de presente para vocês! Lindo! Gratidão imensa a todos eles! Pura conexão dos diferentes mas com sentimentos tão semelhantes!

_ _ _

O que podemos esperar da arte do encontro? O prazer de dividir ideias e sonhos; um universo de imagens e de palavras: a solidariedade, a amizade, a ternura. É a “delicadeza de uma engrenagem que se movimenta” e nos traz momentos de alegria e felicidade. Instantes em que as “palavras-estrelas” da poetisa Helena Kolody se apresentam para o diálogo, para a confraternização. Onde duas ou mais pessoas estão juntas, acreditamos que o uso da linguagem impede o domínio da tristeza, da desolação. E, contra os que estão sem esperanças, podemos afirmar: não precisamos de muito mais coisas. É o que buscam os nômades do nosso planeta: uma confraria dos viajantes em busca de um mundo melhor, onde não há lugar para a solidão, a dor, o sofrimento.

João dos Reis (agosto, 2016)

_ _ _
Sonhos alados

Quando um chamado bate à porta, mais que um som ou toque material, é uma oportunidade de se abrir as novas possibilidades. Quase como um portal atemporal, deixando o caminho aberto para a possibilidade de sonhar em nuvens azuis. Descobrir o desconhecido, encontrar o inimaginável … ou rever um rosto e perceber toques diferentes, outra pele, outros olhares, outros sorrisos, mesmo que o rosto seja o mesmo que te olha todas as manhãs, no mesmo espelho, que é o seu.

Isabelle Neri (agosto, 2016)

_ _ _

Um dia passei num museu, tinha muitas esculturas famosas, Davi (de Golias), Pietá e muitas outras. No saguão de entrada estava um busto simples, uma menina de cabelos ondulados. Olhei para ela, acariciei sua face, a senti tão bela, procurei a plaquinha e li: “o que a criança exala quando quer que a acariciem”. Um a um dos visitantes vi se aproximarem, acariciarem, lerem e se darem conta que já acontecera, algo que não sabiam se quer que acontecia. Assim passamos a saber. É um desencanto de um encanto que nos encanta. É isso que senti quando li “ basta um encontro e uma delicada engrenagem se movimenta”. “E isso!” eu pensei. “É assim! É assim mesmo” e de alguma forma, então no meu coração ela se movia. ”É ela!” Assim são os encontros! Não é só coração, é na vida, assim o movimento se desencadeia, é assim como tudo se engendra.

Mariana Blaich (agosto, 2016)
_ _ _

Arcano Zero

Pelas trilhas do povoado vai o andarilho, sempre na senda, mais fundo, no coração do seu próprio caminho, que se chama busca, porque qualquer chegada é apenas provisória. Sempre na senda, voltando para casa, porque um vento, um palpite, um encontro o pôs a teatinar. Não a morada do pai, mas seu próprio rancho de caminheiro, porque mora na estrada, para onde foi por conta de suspeitas, remorsos e saudades. Não o assustam chuvas, córregos e outras águas. De encontro em encontro, segue sua senda, onde tudo é movimento.

Renato Bittencourt Gomes (agosto, 2016)

_ _ _

Queridos Martha & Mauro,

Nas asas do F Pessoa –  “Navegar é preciso…”  – venho desejar a voces, viajados & viajantes,  e ao novo encantador espaço “Confraria dos Viajantes” um crescimento saudável , vida longa e muita prosperidade! Que possamos todos aproveitar e nos deleitar com tal encantador espaço, com muitos encontros, alegrias,  surpresas, trocas de informações, dicas  em rumo ao auto conhecimento, divertimento, compartilhando sempre, despertando  e acalentando a alma, ampliando a imaginação de todo navegante – viajante dentro e além de todos nos! Parabéns pelo belo trabalho e lançamento da Confraria ! Boa sorte  e muito sucesso! Que venham as aventuras …e  viajantes!
Com muita adimiração e gratidão,
Aquele forte abraço!

Marcia Cunha

 

 

Deixe o Seu Comentário
   

Rua Nilo Peçanha, 1080 - Conjunto 01
Bom Retiro - Curitiba/PR

Telefone: (41) 3338-7718 / (41) 9651-0229